RESPIRAÇÃO, ATIVIDADE FÍSICA E SEUS BENEFÍCIOS CONTRA A DEPRESSÃO E ANSIEDADE

62-2021




Palavras-chave: Exercício, Respiração, Depressão.


Introdução

A função da respiração é essencial à manutenção da vida e pode ser definida, de um modo simplificado, como uma troca de gases entre as células do organismo e a atmosfera. Assim a principal função dos brônquios e traqueia é a de transferir o ar inspirado para o espaço alveolar do pulmão e exalar o ar alveolar rico em CO2, tais estruturas são compostas de células epiteliais respiratórias que formam uma barreira que separa o espaço gasoso das fases fluidas em todo o pulmão, Mooren e Volker (2014). Sendo assim a respiração acontece através de um complexo processo fisiológico, que pode se modificar em à frente de diferentes situações, como patologias através dos exercícios físicos, quando sendo feito de um modo correto pode até melhorar casos de transtornos de ansiedade e depressão e tornando um indivíduo mais calmo e com mais qualidade de vida.


O padrão respiratório depende de variáveis relacionadas ao volume e aos tempos respiratórios, sendo seu controle influenciado por mecanismos corticais, periféricos e da musculatura respiratória e de membros. Durante a atividade física, o padrão respiratório depende ainda da fase e da intensidade do exercício, da idade e do sexo, e das propriedades mecânicas do sistema respiratório, o que pode gerar modificações na configuração toracoabdominal e nos componentes do padrão respiratório. (Lopes et al, 2005). E podendo juntar estes dois processos, que é da respiração correta e da prática de exercícios, pode levar à um bem estar, e até melhoras em quadros de ansiedade e depressão.


Metodologia

Para a seleção do material de estudo, adotou-se o seguinte procedimento: busca na base de dados Google Acadêmico com as palavras células epiteliais, brônquicas, exercício físico, depressão, respiração, também foram utilizados livros para identificação dos estudos foi realizada a leitura do título e resumo e uma leitura integral dos artigos e por fim análise individual dos estudos selecionados.


Resultados

Nos alvéolos de respiração onde o CO2eliminado pelo metabolismo celular para assim captar O2à partir do ar ambiental, assim como diz Mairbaurl, (2012), que as trocas de íons a células podendo ter Cl que secretado pelas vias aéreas e reabsorve o Na que é ativamente ativos para os transportes de água viabilizando as vias aéreas permitindo um umedecimento à elas. Ao analisar a atividade física, pode-se notar mudanças nos indivíduos que estão passando por casos clínicos de ansiedade e depressão, e quando associamos ao correto modo de respirar, esse indivíduo pode chegar uma melhora bastante favorável. Para isso buscamos entender primeiramente como ocorre esse processo biológico da respiração.




Vias aéreas

Se encontra na cavidade nasal onde ela se divide em cinco divisão, seios paranasais, faringe, laringe, traqueia e a brônquica, e os pulmões com diz Powers (2005, P. 193)” onde ocorre a troca gasosa no interior de sacos aéreos microscópicos denominados alvéolos” que são componentes do sistema respiratório.

Por esse fato as vias aéreas tem proteção com vários filtros capilares que protege a maioria dos sacos aéreos no interior dos pulmões impedindo um colapso deste órgão, “o ar entra pelas fossas nasais e é filtrado, umedecido e aquecido antes de ir para a traqueia” (PITHON-CURI, 2013, P. 116).

Com isso a maioria dos indivíduos para manutenção desta via aérea tendo uma integridade na barreira hematoaérea pulmonar é muito fina e se mantém constante durante o exercício.


Exercício

Nas vias aéreas é um caso particular por detrimento da atividade física o transporte de ar ser maior que o normal o sujeito também apresenta um maior volume de frequência respiratória, bem pela dilatação das vias aéreas. Sendo assim depende de cada organismo, para que reaja com o exercício em função da atividade exercida pelo exercício.


Durante o exercício a intensidade no aumento no fluxo de sangue pulmonar durante a ventilação alveolar, com a propagação do oxigênio se aumenta no homem jovem no máximo de 65 ml/min/mmHg. Este aumento ocorre de duas formas pelo o aumento dos capilares pulmonares

sendo que até então estavam adormecidos tendo um aumento na disfunção com oxigênio e pela injeção dos capilares alveolares com sangue.


Atividade física e depressão

Scully, Kremer, Meade et al. (1998), demonstraram os efeitos positivos do exercício sobre os níveis de ansiedade e depressão, diminuindo-as e, melhorando a auto-estima, o autoconceito e a imagem corporal. Lane e Lovejoy (2001), estudaram os efeitos do exercício sobres as mudanças de humor e concluíram que o exercício está associado com as melhoras de humor das pessoas que tinham sintomas depressivos antes de iniciarem os exercícios.


Vários autores nos apresentam estudos que comprovam grande diminuição da ansiedade e depressão, nos sujeitos pesquisados. O exercício físico no tratamento da depressão, enfatizando vários tipos de exercícios físicos, sendo analisadas as variáveis dores qualidade de vida. Os exercícios promovem alterações fisiológicas, bioquímicas e psicológicas, sendo considerados uma intervenção não medicamentosa para o tratamento de distúrbios relacionados aos aspectos psicológicos, e são eficazes no tratamento da depressão.


Segundo a Organização Mundial de Saúde (2001), a depressão em um grupo de 10 doenças se encontra em quarto lugar, sendo responsável por morte prematura, ressaltando que 20 % da população cedo ou tarde serão vitimadas pela depressão. A depressão é uma disfunção neurotransmissora devido à herança genética ou alterações funcionais em áreas cerebrais específicas. Do ponto de vista psicológico e social, pode ser classificado com exógena (resultados de problemas psicológicos e/ou ambientais). (MELLO, 2004).