Quando não há nada mais a ser dito, respire e silencie

Atualizado: 8 de mar. de 2021

04-2019

Quando não há nada mais a ser dito, respire e silencie. Quando não há mais nada a ser feito, permita apenas ser, apenas estar presente na sua respiração e ficar na companhia do seu coração. Este indicará o momento apropriado para você agir.

Quando a lentidão dos dias acomodar a sua vontade, enlaçando você com os nós da intranquilidade, respire profundamente, descanse e renove a  sua energia. Não há pressa, a prioridade é que você encontre novamente a sua essência, para que sinta em você a alegria de ser e estar vivo.

Quando o vazio se instalar em seu peito, dando a sensação de angústia e esgotamento, volte a sua atenção para a sua respiração, e encontre em você mesmo a compreensão e acolhimento para este estado. É necessário nos reconhecermos em tais estados, para que estes não se transformem no desconhecido, no incontrolável. Tudo pode ser mudado, existe sempre uma nova escolha para qualquer opção que você tenha feito.

Quando você ouvir do seu coração, que não há nenhuma necessidade em se preocupar com a vida, saiba que ele apenas quer que você compreenda, que nada é tão sério a ponto de você se perder para sempre da sua divindade, ficando condenado a não ver mais a luz que é sua, por natureza.

Estando atento em você mesmo, perceberá que a sabedoria universal está com você, conduzindo momento a momento, àquilo que realmente necessita ser vivido.

Confie e siga em seu caminho de paz.

Nada é mais fortalecedor do se perceber emergindo da escuridão, apenas por haver acreditado na existência da luz.

Ela sempre esteve presente! Era só abrir os olhos!


Maria Eugênia Anjos, adaptação feita de um texto de São Francisco de Assis

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo