Estudo relata que você pode melhorar a consolidação da memória a longo prazo respirando pelo nariz

Atualizado: 8 de mar. de 2021

28-2020


Fonte: Neuroscience

Publicado em 22 de outubro de 2018

Respirar pelo nariz pode melhorar a transferência de experiência para a memória de longo prazo, afirma um estudo de adultos humanos publicado no Journal of Neuroscience.

As descobertas aumentam as evidências crescentes da influência da respiração na percepção e cognição humanas.

Com base em pesquisas anteriores em animais e seres humanos, Artin Arshamian e colegas compararam os efeitos da respiração nasal e pela boca durante um período de consolidação de uma hora após a exposição dos participantes a vários odores.

Os respiradores nasais, cujas bocas foram tapadas durante o período de consolidação, mostraram um reconhecimento de odor aumentado em comparação aos respiradores pela boca, cujos narizes foram tapados durante a consolidação.

Embora este estudo não tenha medido a atividade cerebral, os pesquisadores sugerem que a respiração nasal pode facilitar a comunicação entre as redes sensoriais e de memória, pois as memórias são repetidas e fortalecidas durante a consolidação. Esquema do paradigma experimental. O experimento consistiu em duas sessões separadas, cada uma incluindo uma fase de codificação, consolidação e reconhecimento.




Na fase de codificação, os participantes foram presenteados com seis odores familiares (por exemplo, morango) e seis não familiares (por exemplo, 1-butanol), um de cada vez, e solicitados a lembrá-los.


A familiaridade dos odores foi pré-definida e um novo conjunto de odores foi usado em cada sessão. Após a fase de codificação, os participantes descansaram passivamente sem dormir (fase de consolidação) por uma hora durante a qual respiraram pelo nariz (consolidação nasal) ou pela boca (consolidação da boca).


Em seguida, durante a fase de reconhecimento de odores, os participantes foram novamente apresentados com os odores da fase de codificação, mas desta vez misturados com 12 novos odores (6 familiares e 6 familiares).


Para cada odor, os participantes fizeram um julgamento de reconhecimento se o odor era novo ou antigo. Os participantes seguintes avaliaram a intensidade do odor, a simpatia, a familiaridade e a capacidade de nomeação, bem como tentaram identificar o odor.


Durante a codificação e o reconhecimento, o fluxo de ar nasal foi monitorado por uma cânula nasal que possibilitou a medição dos parâmetros de cheirar durante a apresentação do odor. A imagem do NeuroscienceNews.com é creditada a Arshamian et al., JNeurosci (2018).

O estudo fornece evidências de que, além de seus efeitos na codificação e recuperação da memória, a respiração nasal também suporta a consolidação da memória.

Financiamento: Financiamento fornecido pelo Conselho Sueco de Pesquisa, Organização Holandesa de Pesquisa Científica, Knut e Fundação Alice Wallenberg.

Fonte: David Barnstone - SfN

Editora: Organizado por NeuroscienceNews.com.

Fonte da imagem: A imagem do NeuroscienceNews.com é creditada a Arshamian et al., JNeurosci (2018).

Traduzido por Maria Eugênia Anjos


-------------

English Version

Nose Breathing Enhances Memory Consolidation

Journal of Neuroscience. Published October 22 2018.Summary: A new study reports you may be able to improve long term memory consolidation by simply breathing through your nose.


Source: SfN.

Breathing through the nose may improve the transfer of experience to long-term memory, finds a study of human adults published in Journal of Neuroscience. The findings add to growing evidence for the influence of respiration on human perception and cognition.

Building on previous research in animals and humans, Artin Arshamian and colleagues compared the effects of nose breathing and mouse breathing during a one-hour consolidation period after participants were exposed to various odors.

Nose breathers, whose mouths were taped over during the consolidation period, showed increased odor recognition compared to mouth breathers, whose noses were clipped during consolidation.

Although this study did not measure brain activity, the researchers suggest that nose breathing may facilitate communication between sensory and memory networks as memories are replayed and strengthened during consolidation.


Schematic of experimental paradigm. The experiment consisted of two separate sessions, each including an encoding, a consolidation, and a recognition phase. In the encoding phase, participants were presented with six familiar (e.g., strawberry) and six unfamiliar (e.g., 1-butanol) odors one at a time and asked to remember them. The odors familiarity was pre-defined and a new set of odors were used in each session. After the encoding phase, participants rested passively without sleeping (consolidation phase) for one hour during which they either breathed through their nose (nasal consolidation) or mouth (mouth consolidation). Next, during the odor recognition phase, participants were once again presented with the odors from the encoding phase but this time intermixed with 12 new odors (6 familiar and 6 unfamiliar odors). For each odor, participants made a recognition judgment if the odor was new or old. Next participants rated odor intensity, pleasantness, familiarity, and nameability, as well tried to identify the odor. During both encoding and recognition, nasal airflow was monitored by a nasal cannula which enabled measurement of sniff parameters during odor presentation. NeuroscienceNews.com image is credited to Arshamian et al., JNeurosci (2018).

study provides evidence that, in addition to its effects on memory encoding and retrieval, nasal respiration also supports memory consolidation.

Funding: Funding provided by Swedish Research Council, Netherlands Organization for Scientific Research, Knut and Alice Wallenberg Foundation. Source: David Barnstone – SfN Publisher: Organized by NeuroscienceNews.com. Image Source: NeuroscienceNews.com image is credited to Arshamian et al., JNeurosci (2018).



7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo