A prática da meditação deixa marcas no cérebro 

Atualizado: 8 de mar. de 2021

12-2020


Publicado em Neuroscience em 21/Março/2020


Imagens: Unsplash


Três meses de meditação transcendental reduziram a ansiedade e resultaram em marcadas mudanças na conectividade entre o precuneus, o lobo parietal esquerdo e o ínsula.


Fonte: IMT Escola de Estudos Avançados Lucca


Um novo estudo realizado na Escola de Estudos Avançados IMT Lucca mostra que a sensação subjetiva de bem-estar experimentada por muitas pessoas com a prática da meditação está correlacionada com alterações específicas no cérebro.


A pesquisa, que apareceu em Brain and Cognition, examinou os efeitos da técnica conhecida como Meditação Transcendental (TM), que consiste na repetição silenciosa de um som sem sentido, um "mantra".


Para o estudo, realizado no Molecular Mind Laboratory (MoMiLab) da IMT School for Advanced Studies Lucca, os pesquisadores inscreveram 34 jovens voluntários saudáveis ​​e os dividiram em dois grupos. O primeiro praticava Meditação Transcendental 40 minutos por dia em duas sessões de 20 minutos cada, uma pela manhã e a outra à noite; o segundo grupo não mudou sua rotina diária.


No início do estudo, os pesquisadores também mediram através de questionários psicométricos o nível de ansiedade e estresse de todos os participantes, bem como sua capacidade de gerenciar situações estressantes. Cada indivíduo também foi submetido a um teste funcional de ressonância magnética (RMf), para medir a atividade cerebral em repouso e alterações na conectividade funcional entre diferentes áreas cerebrais. Após três meses, ao final do estudo, os mesmos testes foram repetidos.




A análise dos dados mostrou claramente que os níveis de ansiedade e estresse percebidos pelos sujeitos que seguiram o programa de meditação foram significativamente reduzidos em comparação com os voluntários que não praticavam MT.


A ressonância magnética também mostra que a redução dos níveis de ansiedade está associada a alterações específicas na conectividade entre diferentes áreas cerebrais, como precuneus, lobo parietal esquerdo e ínsula, que desempenham um papel importante na modulação das emoções e estados internos” , explica Giulia Avvenuti, bolsista de doutorado na IMT School e primeira autora do estudo.


No grupo controle, nenhuma dessas alterações foi observada”. "O fato de a meditação transcendental ter efeitos mensuráveis ​​no 'diálogo' entre estruturas cerebrais envolvidas na modulação de estados afetivos abre novas perspectivas para a compreensão das relações cérebro-mente", diz Pietro Pietrini, diretor e coordenador do estudo da IMT School.


"Ele também amplia os resultados de pesquisas recentes sugerindo que terapias medicamentosas e psicoterapia aproveitam o mesmo mecanismo biológico".


A Meditação Transcendental recentemente obteve um sucesso crescente em todo o mundo como uma prática de relaxamento, também graças à Fundação David Lynch, que co-financiou o estudo junto com a Fundação Cassa di Risparmio di Lucca.


Fundada em 2005 pelo diretor de cinema David Lynch, que é praticante de longa data e defensor do valor social da Meditação Transcendental, a Fundação David Lynch promove a prática da MT como uma abordagem para reduzir o estresse nas escolas (como no 'Quiet Time-Meditate' Projeto de Lucca na Escola Secundária Pertini) e locais de trabalho, e para criar resiliência em vítimas de trauma.





Cada indivíduo também foi submetido a um teste funcional de ressonância magnética (RMf), para medir a atividade cerebral em repouso e alterações na conectividade funcional entre diferentes áreas cerebrais. Após três meses, ao final do estudo, os mesmos testes foram repetidos. A imagem é de domínio público.


"Estou muito feliz com os resultados deste estudo, que utilizou a tecnologia mais recente para mostrar os belos benefícios para os seres humanos da MT. Agora estou trabalhando para formar minha fundação também na Itália, com professores que ensinam meditação transcendental em escolas, locais de trabalho e outros grupos, alcançando o maior número de pessoas possível ”, diz David Lynch.


Este novo estudo, coerentemente com os anteriores, mostra que mesmo alguns meses de prática da Meditação Transcendental têm efeitos positivos no bem-estar psicológico e que esses efeitos estão correlacionados com mudanças mensuráveis no cérebro.



Pesquisa original: Acesso fechado

"Reduções no estresse percebido após a prática da Meditação Transcendental estão associadas ao aumento da conectividade regional do cérebro em repouso". Giulia Avvenuti et al. Brain and Cognitiondoi: 10.1016 / j.bandc.2020.


-------


English Version:


Abstract

Transcendental Meditation (TM) is defined as a mental process of transcending using a silent mantra. Previous work showed that relatively brief period of TM practice leads to decreases in stress and anxiety. However, whether these changes are subserved by specific morpho-functional brain modifications (as observed in other meditation techniques) is still unclear. Using a longitudinal design, we combined psychometric questionnaires, structural and resting-state functional magnetic resonance imaging (RS-fMRI) to investigate the potential brain modifications underlying the psychological effects of TM. The final sample included 19 naïve subjects instructed to complete two daily 20-min TM sessions, and 15 volunteers in the control group. Both groups were evaluated at recruitment (T0) and after 3 months (T1). At T1, only meditators showed a decrease in perceived anxiety and stress (t(18) = 2.53, p = 0.02), which correlated negatively with T1-T0 changes in functional connectivity among posterior cingulate cortex (PCC), precuneus and left superior parietal lobule. Additionally, TM practice was associated with increased connectivity between PCC and right insula, likely reflecting changes in interoceptive awareness. No structural changes were observed in meditators or control subjects. These preliminary findings indicate that beneficial effects of TM may be mediated by functional brain changes that take place after a short practice period of 3 months.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo